Odontólogo Fernando Borges fala sobre os cuidados do beijo no Carnaval

0
880


O odontólogo inhumense especialista em cirurgia oral menor, Dr. Fernando Borges, foi entrevistado pelo  Jornal O Popular (Organização Jaime Câmara), em Goiânia. Durante a entrevista ao vivo nas redes sociais, o profissional falou aos internautas sobre as principais doenças que podem ser adquiridas através do beijo.

Entrevistado pelo jornalista Frank Martins, no quadro “Por Uma Vida Melhor”, Dr. Fernando, alertou das infecções, relatou tratamentos e dicas importantes para estar sempre saudável.  Herpes labial, sapinho (candidíase oral) doença do beijo (mononucleose), gripe, cárie e gengivite são algumas doenças que qualquer pessoa pode adquirir por meio de bactérias na saliva, “evite beijar várias pessoas. Tenha cuidado com lesões na boca sinais perceptivos como a herpes. Em alguns casos estão mascarados na gengiva, língua ou bochecha”, alerta o Dr. Fernando.

Após o contagio, segundo o dentista, na maioria dos casos, os sintomas mais comuns são: “garganta inflamada, mal-estar, inchaço dos gânglios linfáticos e febre. Já a prevenção é cuidar da limpeza diária da boca e consultar regularmente um dentista”, disse. Outro ponto que o especialista destacou é o cuidado com o compartilhamento de copos de bebidas entre amigos e desconhecidos, pois corre o risco de transmissão pela saliva, “gengiva sangrando, inchada ou muito avermelhada é sinal de gengivite, que assim, como a cárie, podem ser transmitidas”, completa.

Uma dica importante: “além da higiene pessoal, se alimentar bem, hidratar-se bastante e munir o corpo tomando um suplemento de vitamina C, principalmente pessoas que fumam ou ingerem bebidas alcoólicas durante as festas”, afirmou.

Diante de qualquer sintoma, deve-se recorrer imediatamente a um profissional de saúde para iniciar o tratamento que, segundo o Dr. Fernando, é feito através de coquetel, “o paciente será devidamente medicado em torno de 15 a 21 dias, de acordo com o contágio do vírus, para não deixar a infecção aumentar. Existem infecções que diante de um sistema imunológico debilitado a pessoa pode vir a óbito. Então, neste Carnaval, tome cuidado!”, finaliza.