Suspeita: Aedes Aegypti transmite febre amarela

0
262

A morte de duas pessoas vítimas de febre amarela em Jataí, no primeiro semestre, levou a Secretaria de Estado da Saúde (SES) a intensificar, desde o início do mês, a vacinação contra a doença na maior parte dos municípios goianos. O objetivo principal é proteger turistas que viajam para localidades de potencial risco de contaminação. Mas todos devem se vacinar. Sobretudo porque existe a hipótese de a doença ser transmitida pelo Aedes egypti, transmissor da dengue.

Como em 1942 houve registro de febre amarela em área urbana, acredita-se que esse mosquito, bem como o Aedes albopictus, sejam também capazes de transmitir o vírus da febre amarela. O alerta é de Petronor de Carvalho Fonseca, superintendente interino de Políticas de Atenção Integral à Saúde (Spais). Dessa forma, todas as cidades com casos de dengue são vulneráveis à febre amarela. Se uma pessoa que contraiu a doença em área silvestre for picada na cidade pelos mosquitos, o problema pode se alastrar no ambiente urbano.

O último surto de febre amarela no Estado ocorreu entre 1999 e 2000: 54 pessoas contraíram a doença – 24 morreram. Como o ciclo da doença dura entre cinco e sete anos, a SES entende que a ocorrência dos casos na Região Sudoeste é extremamente alarmante e por isso incentiva toda a população a se imunizar contra a doença.

O titular interino da Superintendência de Políticas de Atenção Integral à Saúde (Spais), Petronor de Carvalho Fonseca, explica que durante o intervalo entre os períodos de infestação da febre amarela o vírus que provoca a doença se multiplica em reservatórios naturais, como animais, em áreas silvestres.

Esses animais são picados por mosquitos do gênero Haemagogus, que se tornam vetores da doença. Como esses insetos não têm hábito urbano, a região de incidência da febre amarela se restringe a matas e florestas. Por vezes, áreas agrícolas também se tornam locais de contágio, caso o mosquito se adapte a esses habitats.

ÁREA ENDÊMICA

Fonseca diz que macacos atingidos pelo vírus da febre amarela invariavelmente morrem. Isso indica a possibilidade do surto em humanos, alerta. Este ano, informa, já foram encontrados macacos mortos na Região Sudoeste. Goiás é um dos 12 Estados considerados pelo Ministério da Saúde como área endêmica da doença e por isso a vacina é oferecida durante todo o ano em postos de saúde.

A febre amarela pode se manifestar desde formas leves (85%), como um simples resfriado, até mais graves (15%), com o aparecimento de hemorragias, febre alta, diarréia e vômito negros, icterícia e insuficiência hepática. O início dos sintomas geralmente ocorre entre três e seis dias depois da infestação. Metade dos casos complicados geralmente leva a óbito. Os enfermos que se curam ficam imunizados.

Podem ser vacinadas pessoas a partir dos 9 meses de idade. O efeito surge uma semana depois da aplicação e dura até dez anos. O superintendente em exercício da Spais, Petronor Foseca, informa que devem ser vacinadas inclusive pessoas que não pretendem deixar a zona urbana nos próximos meses. Quem se vacinou há oito ou nove anos e quer se garantir pode se vacinar novamente.